Spiritual Economy

 

“A moda é um reflexo cultural e conceptual de um estilo de vida, que perdura num determinado tempo e espaço”. Esta foi a minha resposta à pergunta: “O que é para ti a moda?” feita pela Isabel nas aulas de tendências.

Ilustração  Fashion Makers  para a marca  @MPL

Ilustração Fashion Makers para a marca @MPL

À medida que as nossas vidas se tornam mais movimentadas, automatizadas e citadinas, a saúde e o bem-estar surgem como um luxo. Por isso, transferimos os gastos materiais para experiências transformadoras, em que “Feeling good is the new looking good”. Por isso, hoje vou-vos falar sobre esta tendência. 

Se tudo começou com uma ideia exteriorizada da coisa com o negócio do fitness, hoje temos uma dimensão mais abrangente de bem-estar e caminhamos para uma versão mais profunda, com a introdução da espiritualidade.

A rainha da saúde e bem-estar é Gwyneth Paltrow. A Gwyneth foi visionária, quando conectou a moda à saúde no seu Goop. Uma plataforma, que rapidamente evoluiu para marca própria. Neste momento a sua plataforma é tipo uma farmácia da saúde em versão bonita; nela é normal vermos produtos como ‘Goop Glow’, “Rose Quartz Glow Kit” ou artigos sobre “Can We Connect to the Energy of Plants?” e ainda vestuário para a prática de desporto.

Da mesma forma que estamos mais conscientes para o consumo excessivo, como referi aqui, estamos também mais conscientes do que fazemos e do que comemos. Posto isto, o trickle down effect já chegou à blogosfera.

Se inicialmente víamos as bloggers concentradas no #ootd (look do dia), vemos agora as suas investidas no ginásio e um #unboxing de suplementos alimentares, cestas de fruta orgânica, produtos de beleza e roupa de desporto.

O Bem-estar, para além de uma necessidade, virou tendência e acabou por se transformar em status. Quantas vezes vemos pessoas no ginásio a tirar ‘selfies’ em vez de fazer o treino? As pessoas querem mostrar que se preocupam com o corpo e com o seu bem-estar. Por isso, o ginásio surge como a ‘nova casa’ para reunir e fazer parte de uma comunidade.

Bem, da mesma forma que a sustentabilidade é uma oportunidade de negócio, a tendência wellness surge colada à cosmética (lembram se desta artigo?) combinando saúde, alimentação e bem-estar. Numa versão omni-canal, a Goop lança agora uma dimensão física da sua loja online, com lojas pop up e eventos que promovem a prática de ioga, produtos de beleza, comida e experiências dedicadas ao bem-estar. A confirmar esta tendência temos a Net-A-Porter que já introduziu o ‘filtro’ wellness no segmento beleza, onde podemos ver produtos como: ‘Beauty in a Bottle (60 capsules)’.

Expressões como ‘beauty is wellness’ ou “eat beauty” são o nosso dia a dia. No entanto, não fiquemos pelo físico! Esta tendência vai mais além e à saúde + alimentação + bem-estar acrescentamos agora a espiritualidade. A confirmar esta tendência temos o Girl Boss Rally com sessões de tarot reading, já para não falar do crescimento da comunidade @tobemagnetic.

O Bem-Estar claramente é uma oportunidade comercial que vai desde à alimentação, à beleza e agora à alma. Se há uns anos a Nike lançou uma app focada na “alta performance” dos seus clientes, o presente traz-nos aplicações de meditação e auto-ajuda.

Se nos últimos anos vimos todo um fitness economy em crescimento, o mercado caminha para o combate ao stress e ansiedade, introduzido experiências para um ‘alternative wellness’ com aroma terapia, cromo terapia, sinestesia, telepatia e auras. A tangibilidade desta moda virá em forma de velas, aromas, cartas de tarot, joalharia com astros, cristais, já para não falar dos livros!

Numa abordagem mais holística estaremos perante a moda do Spiritual Economy?

Joana Campos Silva

Gostarias de receber mais informação por email?

Name *
Name
Gostaria de receber informação sobre:

Para mais informações