O luxo mais acessível

 
Illustration by me  The Red Wolf

Illustration by me The Red Wolf

A indústria da Beleza nunca esteve tão em voga! Lembro-me de Kim Kardashian em plena gravidez, focar os seus vídeos e fotografias em técnicas de maquilhagem. DANM! Mega estratégia para não vermos a transformação do seu corpo durante 9 meses (shame!!!). A vergonha e a transformação corporal despertou novos modelos de negócio transformando a sua irmã Kylie Jenner na mais nova multimiliorária do mundo, com apenas 21 anos, ultrapassando Mark Zukenberg. Mas não se pode falar de cosmética sem falar no fenómeno Glossier e Huda Beauty, certamente matérias para um próximo post. 

Sempre fui fascinada por modelos de negócio e se achamos que as Kardashians estão a revolucionar o sector, já nos anos 20 muitos fenómenos aconteceram e que transformaram efetivamente aquilo que consumimos hoje.

Em 1921 Coco Chanel escolheu a amostra Nº 5, para dar nome ao seu mais recente produto - Chanel Nº 5. Há quem diga que a ascenção de Coco surgiu com este bem aromatizado, por ser adquirido por um custo mais baixo. Julgo que esta teoria confirma-se quando anos mais tarde, durante a guerra, este passou a ser o produto que manteve a marca viva. Noventa e oito anos depois, tive oportunidade de conhecer a sua mais recente loja em Paris - Chanel Beauty, com “Coco Labs” e residências artísticas.

Não se deixem impressionar, pois não podemos falar de beleza, sem falar de Helena Rubinstein que aos 18 anos mudou-se para a Austrália onde começou a misturar fórmulas médicas e pomadas para cavalo. Em 1902 abriu o primeiro salão de beleza do mundo em Melbourne. Anos mais tarde inventou o rímel à prova de água.

Já Elizabeth Arden idealizou a beleza completa, através da tonificação e hidratação, incentivando o uso de maquilhagem. Em 1920, mais de 100 produtos tornaram a marca Elizabeth Arden, a denominadora do mundo, fazendo do seu salão Red Door um perfeito complexo da beleza. Quando começou a 2a guerra mundial, Elizabeth revolucionou uma vez mais, lançando o batom vermelho, usado pelas mulheres das forças armadas, para dar vida aos uniformes, dando um toque de feminilidade. Ficou também conhecida pela democratização dos cosméticos, tudo graças à fabricação de kits de "home SPA", que incluíam um disco de beleza intitulado The Sound of Beauty. Foi ela que criou o conceito de SPA convidando as suas clientes a retiros de fins de semana dedicados à nutrição alimentar, desporto e hidratação corporal. Um génio!

A tendência de maquilhar os lábios e as unhas da mesma cor, foram invenções dos irmãos Charles e Joseph. Foram eles que criam o verniz brilhante e colorido com pigmentos, para ser aplicado na toda a unha, é aí que nasce a marca Revlon.

Neste universo da beleza se há personalidade que me fascina é Estée Lauder, a rainha do marketing! quando percebeu que a luz influenciava a beleza da mulher alterou as luzes de sua casa para as suas clientes se sentirem mais bonitas com os cremes da sua marca. Quando iniciou o seu negócio nenhuma agência queria ficar com o seu projeto tão jovem, foi aí que Esteé para alcançar mais clientes, criou as 1a amostras grátis, que surtiam notável impacto de divulgação. O filho Leonard distribuía as amostras nos táxis que transportavam as senhoras ricas que iam aos espetáculos de caridade no hotel Waldorf Astoria de Nova Iorque. Assim nasceu a estratégia de marketing “boca a boca”. Foi também Estée Lauder que lançou as primeiras coleções de maquilhagem de acordo com as estações do ano, tal como acontecia com o vestuário.  A sua visão de futuro valeu-lhe o estatuto de rainha da beleza. Consagrada em 1998 pelo The Times como «gênio do negócio mais influente do século», deixa-nos como herança um real império da beleza.

Alguns acontecimento verdadeiramente inspiradores que mudam a nossa forma de viver.   

Joana